Avançar para o conteúdo principal

É possível treinar sem dor?

Resultados e Compromisso
Há uma relação directa entre resultados e compromisso com o plano de treino. Sempre que os nossos clientes atingem um novo objectivo, seja a redução da massa gorda, seja aumento de massa muscular, aumento da flexibilidade e mobilidade articular ou aumento da performance, encontramos como ponto comum: o compromisso com o treino. Não há nenhuma dúvida quanto a esta questão. 
Tendo o compromisso como pré-requisito para alcançar objectivos, existe um factor que pode conduzir ao sucesso ou ao insucesso.
Relação com a dor no treino
Aqui entramos na dimensão mental do treino, que também se treina. Alguns dos nossos clientes tinham constrangimentos mentais para lidar com a dor no treino e conseguiram ultrapassá-los com a ajuda do treinador. Neste sentido acreditamos que o papel do personal trainer é fundamental em explicar tecnicamente ao cliente o que acontece no organismo humano ao fazer o processo fisiológico de adaptação ao treino. O esclarecimento e a informação são fundamentais para que o aluno tome consciência que o grau de dificuldade vai diminui, e que o praticante se vai adaptando progressivamente e vai tendo cada vez mais recursos para lidar mental e fisicamente com a dor. Entendemos que aqui existem ganhos que vão muito para além do treino. Conseguir ultrapassar as dificuldades em alterar a capacidade física traz ao indivíduo recursos que aumentam crença nele próprio que conduzem a uma maior auto-confiança e a uma atitude renovada perante a própria vida. O sucesso no treino muda as pessoas, não temos dúvidas quanto a isso. 
Recompensa do treino
Não existem só dores e dificuldades, o bem-estar decorrente do treino ocorre porque são libertadas substâncias químicas no nosso cérebro que intervêm na regulação do humor e trazem-nos a sensação real de bem-estar. 
Paralelamente, o facto de haver melhoria da saúde de um modo geral, e estarmos a prevenir todo o tipo de doenças também dão uma dose importante de motivação a quem treina.
Não é possível atingir resultados com o Treino, sem dor.
A dor faz parte do processo de treino, há um grau individual de dor e dificuldade que é suportável e possível e é resistindo a essa dor e a essa dificuldade que se melhoram as capacidades físicas. Nós nunca evoluímos se não nos esforçarmos em tentar ir mais além. Depois de o corpo se adaptar já pode realizar a mesma tarefa com menor dificuldade. 





Mensagens populares deste blogue

Caminhar é treino?

Foi caminhar e a sua frequência cardíaca não passa dos 120 batimentos por minutos (BPM)? Então a sua caminhada provavelmente já deixou de ser treino. 
Caminhar é uma actividade física inerente ao quotidiano do homem desde sempre. As caminhadas passaram a constar de um programa de exercício físico em consequência do sedentarismo. Claro que quem não anda a pé e tem pouco movimento no seu dia a dia tem de começar por caminhar, visto que não consegue correr/nadar/pedalar seguido durante muito tempo. Mas, idealmente depois de recuperar a condição física através da marcha devemos ambicionar um pouco mais e passar para uma actividade um pouco mais vigorosa. Em suma, na nossa opinião caminhar deve ser apenas desenvolvida no âmbito do treino como uma actividade transitória entre o sedentarismo e uma vida activa em que devem aparecer activividades um pouco mais exigentes como o jogging, a corrida, o ciclismo, a natação. Ao longo de muitas publicações que temos feito no nosso blog temos salientad…

Fazer abdominais tira a barriga?

Esta pergunta é muitas vezes colocada e é sem dúvida um dos mitos do treino. São sempre os exercícios de carácter geral que degradam a gordura localizada. Podemos ter uma parede abdominal muito bem trabalhada, contudo a película de gordura teima em desaparecer. Equilibre os seus treinos cardiovasculares e os seus treinos de força. Se tem gordura para perder aposte no equilíbrio dos dois tipos de treino e garanta que o treino é vigoroso.

Rotina de Treino da Madonna

Madonna, segundo o seu personal trainer está sempre a mudar a sua rotina de treinos para levar a novos estímulos físicos e mentais. Explora sobretudo a resistência, força e flexibilidade.  A variabilidade do treino é algo de determinante para atingir objectivos, o corpo cria hábitos e adapta-se aos estímulos. Para poder evoluir deve alterar o seu plano de treino regularmente e renovar os estímulos para que a preguiça não se instale. Desafie-se!