Avançar para o conteúdo principal

Começar a correr

«Nos últimos anos verificou-se o aumento substancial de pessoas que aderiram à corrida e à caminhada, seja por razões de saúde, desde a simples regulação do organismo à perda de peso; seja por gosto ou lazer. A proliferação do número de competições que englobam a corrida a caminhada (marcha), bem como o surgimento de vários grupos de corrida informais, contribuíram fortemente para a subida do número de praticantes.
Na Fiquemforma www.fiquemforma.com entendemos que a prática de corrida, como de qualquer outra actividade física, requer aconselhamento. No entanto, verifica-se um elevado número de pessoas que se iniciam na corrida sem qualquer tipo de aconselhamento técnico ou clínico. Esta prática deve ser evitada pois acarreta múltiplos riscos para a saúde do praticante.
Numa fase de iniciação, a marcha vai permitir que o individuo que se adapte a esforços mais longos e vai promover um controlo no impacto nos sistemas osteoarticulares, ao nível dos joelhos, tornozelos e costas. Um bom método para esta fase de iniciação será alternar períodos de corrida com períodos de marcha, aumentado assim a duração do trabalho cardiovascular. Numa perspectiva de progressão, o praticante deverá ir encurtando os períodos de marcha até que estes desapareçam por completo, dando lugar à tradicional corrida contínua uniforme.
À medida que os praticantes aumentam a sua aptidão física e já conseguem realizar corrida contínua de maior duração (pelo menos 30 minutos), podem integrar no seu plano outros métodos de treino como o fartleck, corrida contínua variada, com períodos de tempo em que se aumenta a intensidade e outros onde se diminui, para que haja recuperação; treino intervalado na pista, tendo como referência distâncias de trabalho que são realizadas por séries/repetições, por exemplo, 10x400m com intervalo que não permita a recuperação completa; treino de Rampas, um método que permite também trabalhar a força.
Todos estes métodos vão permitir aumentar o VO2 máximo (capacidade do individuo captar oxigénio), contudo na fiquemforma https://www.fiquemforma.com/planos-treino-online aconselhamos a que o treino intervalado apareça numa fase em que o atleta já tem um volume de quilometragem razoável na sua semana de treino.»

Mensagens populares deste blogue

Caminhar é treino?

Foi caminhar e a sua frequência cardíaca não passa dos 120 batimentos por minutos (BPM)? Então a sua caminhada provavelmente já deixou de ser treino. 
Caminhar é uma actividade física inerente ao quotidiano do homem desde sempre. As caminhadas passaram a constar de um programa de exercício físico em consequência do sedentarismo. Claro que quem não anda a pé e tem pouco movimento no seu dia a dia tem de começar por caminhar, visto que não consegue correr/nadar/pedalar seguido durante muito tempo. Mas, idealmente depois de recuperar a condição física através da marcha devemos ambicionar um pouco mais e passar para uma actividade um pouco mais vigorosa. Em suma, na nossa opinião caminhar deve ser apenas desenvolvida no âmbito do treino como uma actividade transitória entre o sedentarismo e uma vida activa em que devem aparecer activividades um pouco mais exigentes como o jogging, a corrida, o ciclismo, a natação. Ao longo de muitas publicações que temos feito no nosso blog temos salientad…

Fazer abdominais tira a barriga?

Esta pergunta é muitas vezes colocada e é sem dúvida um dos mitos do treino. São sempre os exercícios de carácter geral que degradam a gordura localizada. Podemos ter uma parede abdominal muito bem trabalhada, contudo a película de gordura teima em desaparecer. Equilibre os seus treinos cardiovasculares e os seus treinos de força. Se tem gordura para perder aposte no equilíbrio dos dois tipos de treino e garanta que o treino é vigoroso.

Rotina de Treino da Madonna

Madonna, segundo o seu personal trainer está sempre a mudar a sua rotina de treinos para levar a novos estímulos físicos e mentais. Explora sobretudo a resistência, força e flexibilidade.  A variabilidade do treino é algo de determinante para atingir objectivos, o corpo cria hábitos e adapta-se aos estímulos. Para poder evoluir deve alterar o seu plano de treino regularmente e renovar os estímulos para que a preguiça não se instale. Desafie-se!