Avançar para o conteúdo principal

Treino com Kettebell

Kettlebell, trabalho completo apenas com um instrumento de treino.
O kettlebell é um dos instrumentos de treino mais completos que podemos utilizar na nossa rotina de treino. Este apresenta uma grande diversidade de movimentos que vão permitir desenvolver várias capacidades físicas, tais como, a força e a resistência (trabalho  cardiovascular). 
Uma das grandes vantagens na utilização do Kettlebell é a dinâmica entre exercícios que podemos inserir no treino. O facto de se passar facilmente de um movimento/exercício para outro, torna o treino muito mais dinâmico e ao mesmo tempo motivador. Este aspecto vai também ter repercussão no trabalho cardiovascular.
A componente cardiovascular é facilmente trabalhada com o Kettlebell, não só pela dinâmica referida anteriormente, mas também pelo facto de se puderem utilizar exercícios gerais com a participação de vários grupos musculares. Por si só o kettlebell exige um constante trabalho postural e, ao acrescentar estes exercícios mais gerais aumentamos ainda mais a exigência cardiovascular.
A escolha dos exercícios que executamos com o Kettlebell pode-nos permitir aumentar a intensidade de forma a pudermos fazer circuitos de treino bastante intensos e com uma duração mais reduzida, para aqueles que não conseguem dedicar muito do seu tempo à actividade física.
O kettlebell pode também ajudar a trabalhar a componente cardiovascular no caso de lesões em que haja impedimento na realização de marcha, corrida ou saltos.
Contudo e à semelhança dos outros instrumentos de treino, é necessária a realização correta dos exercícios a fim de se evitarem lesões, o que pressupõe um acompanhamento por parte de um profissional da área. 
Se estiver numa fase inicial de aprendizagem do treino com Kettlebell, aconselhamos pesos até 8kg para as mulheres e até 12kg para os homens.
Em termos de volume de treino, e devido à grande intensidade que podemos colocar neste tipo de treino, recomendamos a realização de circuitos até 3/4 exercícios, fazendo 3 a 5 séries por circuito.
Fonte: Fiquemforma (Treinador David Inácio)

Mensagens populares deste blogue

Caminhar é treino?

Foi caminhar e a sua frequência cardíaca não passa dos 120 batimentos por minutos (BPM)? Então a sua caminhada provavelmente já deixou de ser treino. 
Caminhar é uma actividade física inerente ao quotidiano do homem desde sempre. As caminhadas passaram a constar de um programa de exercício físico em consequência do sedentarismo. Claro que quem não anda a pé e tem pouco movimento no seu dia a dia tem de começar por caminhar, visto que não consegue correr/nadar/pedalar seguido durante muito tempo. Mas, idealmente depois de recuperar a condição física através da marcha devemos ambicionar um pouco mais e passar para uma actividade um pouco mais vigorosa. Em suma, na nossa opinião caminhar deve ser apenas desenvolvida no âmbito do treino como uma actividade transitória entre o sedentarismo e uma vida activa em que devem aparecer activividades um pouco mais exigentes como o jogging, a corrida, o ciclismo, a natação. Ao longo de muitas publicações que temos feito no nosso blog temos salientad…

Fazer abdominais tira a barriga?

Esta pergunta é muitas vezes colocada e é sem dúvida um dos mitos do treino. São sempre os exercícios de carácter geral que degradam a gordura localizada. Podemos ter uma parede abdominal muito bem trabalhada, contudo a película de gordura teima em desaparecer. Equilibre os seus treinos cardiovasculares e os seus treinos de força. Se tem gordura para perder aposte no equilíbrio dos dois tipos de treino e garanta que o treino é vigoroso.

Rotina de Treino da Madonna

Madonna, segundo o seu personal trainer está sempre a mudar a sua rotina de treinos para levar a novos estímulos físicos e mentais. Explora sobretudo a resistência, força e flexibilidade.  A variabilidade do treino é algo de determinante para atingir objectivos, o corpo cria hábitos e adapta-se aos estímulos. Para poder evoluir deve alterar o seu plano de treino regularmente e renovar os estímulos para que a preguiça não se instale. Desafie-se!