Avançar para o conteúdo principal

Causas do Sedentarismo

Cinco Causas da Inactividade Física
1 - Dores musculares e articulares
Problema: Sentir desconforto durante o exercício pode levar o praticante a evitar a prática de actividades físicas no futuro. A inactividade física leva à diminuição da condição física que gera mais desconforto a longo prazo.

Solução: Exercícios físicos exigem esforço e causam um certo desconforto mas é algo tolerável. Esse desconforto que o sedentário sente no início da actividade física será reduzido com o tempo e trará uma série de benefícios em pouquíssimo tempo. A maioria dos sedentários relata diminuição em dores articulares dentro de poucas semanas.

2 - Conveniência ou Modernização? (carros, elevadores, TV, Compras online, restaurante) 
Problema: A diminuição do quantidade de actividades diárias fez com que nossos antepassados diminuíssem o esforço e gasto calórico para actividades comuns do dia-a-dia.
Solução: caminhadas curtas, subir escadas, comprar em lojas, e cozinhar sua própria comida faz aumentar o gasto energético diário, ou seja, simplesmente fazendo pequenas coisas.
3 - Recreação e Lazer sedentário ( TV, Cinema, navegar na internet)
Problema: certas actividades de lazer podem diminuir a condição física e gerar obesidade.
Solução: longas caminhadas, pedalar, ou a pratica de jogos desportivos colectivos combatem o sedentarismo e fazem aumentar o gasto calórico diário.
4 - Doença (hipertensão, diabetes e doenças do coração)
Problema: O medo de se exercitar e piorar a doença e também que a medicação interfira no exercício.
Solução: exercício é a chave para diminuir e eliminar os sintomas dessas doenças. O exercício pode ajudar a diminuir o impacto causado pelas doenças.
5 - Lesão (ex: distensão muscular)
Problema: semanas ou meses de inactividade podem causar a perda de força muscular e flexibilidade e fazem com que o exercício seja muito mais difícil. 
Lesões, a longo prazo, tornam-se boa desculpa para parar de praticar exercícios.
Solução: Reabilitar primeiro e então escolher um estilo de vida activo. Programar exercícios para as áreas lesadas e para todo o corpo.
Fonte: ACSM







Mensagens populares deste blogue

Caminhar é treino?

Foi caminhar e a sua frequência cardíaca não passa dos 120 batimentos por minutos (BPM)? Então a sua caminhada provavelmente já deixou de ser treino. 
Caminhar é uma actividade física inerente ao quotidiano do homem desde sempre. As caminhadas passaram a constar de um programa de exercício físico em consequência do sedentarismo. Claro que quem não anda a pé e tem pouco movimento no seu dia a dia tem de começar por caminhar, visto que não consegue correr/nadar/pedalar seguido durante muito tempo. Mas, idealmente depois de recuperar a condição física através da marcha devemos ambicionar um pouco mais e passar para uma actividade um pouco mais vigorosa. Em suma, na nossa opinião caminhar deve ser apenas desenvolvida no âmbito do treino como uma actividade transitória entre o sedentarismo e uma vida activa em que devem aparecer activividades um pouco mais exigentes como o jogging, a corrida, o ciclismo, a natação. Ao longo de muitas publicações que temos feito no nosso blog temos salientad…

Fazer abdominais tira a barriga?

Esta pergunta é muitas vezes colocada e é sem dúvida um dos mitos do treino. São sempre os exercícios de carácter geral que degradam a gordura localizada. Podemos ter uma parede abdominal muito bem trabalhada, contudo a película de gordura teima em desaparecer. Equilibre os seus treinos cardiovasculares e os seus treinos de força. Se tem gordura para perder aposte no equilíbrio dos dois tipos de treino e garanta que o treino é vigoroso.

Rotina de Treino da Madonna

Madonna, segundo o seu personal trainer está sempre a mudar a sua rotina de treinos para levar a novos estímulos físicos e mentais. Explora sobretudo a resistência, força e flexibilidade.  A variabilidade do treino é algo de determinante para atingir objectivos, o corpo cria hábitos e adapta-se aos estímulos. Para poder evoluir deve alterar o seu plano de treino regularmente e renovar os estímulos para que a preguiça não se instale. Desafie-se!